terça-feira, 7 de julho de 2009

poesia atonal

é assim que ele sabe ser
e ela fica desfazendo da única vaidade minha
e quando você saía
da porta da frente
pra ver quem era
eu estava com o nariz colado na porta
olhando no olho mágico
e as palavras se perdendo na minha cabeça
você perdendo no lençol
os três na escada
você abriu olhou e fechou
leia agora antes que seja tarde

é assim ser/ desfaz a vaidade/ você saiu e voltou/ eu voyeur/ as palavras sumiram/ o lençol/ nós três/ leia agora

é ser vaidade olho mágico palavras no lençol três leia agora a tarde

é secar no sol de tarde
o sol se põe antes da noite
os prédios guardam o sol
e um vazio entre o dia e o fim
antes que seja noite
já não é mais tarde
tento ser gentil carinho
(espero que perceba)
mas não significa nada
não quero     ver de novo
    envolver
nos meus lençóis
a poesia esparramada no chão
você abre e fecha a porta
e não entra não inverte
você no meu olho mágico
dez vezes menor dez vezes longe
e a minha poesia, minha única vaidade:
ela se desfaz

7 comentários:

  1. ordinário, hehehe.
    LINDO O SEU BLOG, MARCOS!

    ResponderExcluir
  2. Acabamos de fazer um dueto com seu poema. Ultrabacana...
    Matheus

    um atropelando o outro
    ana

    ResponderExcluir
  3. você faz o melhor.
    muitas saudades
    beijo

    ResponderExcluir
  4. Opa, tudo certo? Sou amigo da Carol de Carmo da Mata, e, por curiosidade, li o seu blog. Temos a mesma inquietação que aflige todos aqueles que se expressão em versos - no nosso caso, livres. Moro no interior do sertão mineiro, difícil de encontrar inquietos com quem se possa discutir literatura, poesia, vida. Gostei do que escreve, principalmente este de 7 de julho, uma busca de ritmo, que, no final, penso que é somente a isso que a poesia deve se atentar quanto a estetética. Quem sabe podemos trocar umas ideias, discutir? Parece que mora em BH, as rodas literárias são mais produtivas, embora aqui tenha bons escritores. Em outubro acontecerá aqui em Montes Claros o Psiu Poético, o mais antigo festival de poesia do Brasil, podemos conversar sobre isso também. Abraços.

    ResponderExcluir
  5. bem 'musicável' mesmo a poesia!
    fiquei curioso com o dueto! hehe

    ResponderExcluir
  6. estava cantando isso agora de manhã, mas não conseguia lembrar toda poesia.

    ResponderExcluir

lave

metâmero




poesias inéditas semanalmente
outros conteúdos e indicações relacionadas diariamente em facebook.com/encardido

Creative Commons License
cárdeo [e todo o conteúdo, exceto quando citado de outrx autorx] de marcos assis está licenciado por creative commons atribuição-uso não-comercial-compartilhamento pela mesma licença 2.5 brasil