segunda-feira, 13 de julho de 2009

dois dias

engulo o que no que mergulho
fecho os olhos de prazer de lembrar
cobertor sobre as cabeças que protege
do amanhecer inevitável
estica uma existência
força sonhos acordados
de uma sutil latência

- dois dias
um olhar
- o que você está pensando agora?

o corpo entorta ao toque
a linha dos olhos
- (eu entendi)
não precisa explicar
o torto encorpa aos braços
as linhas do toque
a superfície do toque do cabelo

o cor
po confor
tável

- dois dias
a olhar
dois dias que foram duas noites
nos dias, pensando



3 comentários:

  1. É o que lhe disse, me identifico muito com o que escreve.
    "dois dias que foram duas noites
    nos dias, pensando"
    Somos insones e quantos mais não serão como nós? Essa urgência, esse tempo...

    ResponderExcluir

lave

metâmero




poesias inéditas semanalmente
outros conteúdos e indicações relacionadas diariamente em facebook.com/encardido

Creative Commons License
cárdeo [e todo o conteúdo, exceto quando citado de outrx autorx] de marcos assis está licenciado por creative commons atribuição-uso não-comercial-compartilhamento pela mesma licença 2.5 brasil