domingo, 28 de outubro de 2007

penso

inspiração do desequilíbrio ou
se sonetos são prisões vou estar preso
quase gosto de todo o meu desprezo
o barulho que irrita não acabou

quero me sinto se mesmo isso o sou
um idiota repreendo represo
como tudo que falo por surpreso
o som está alto o sos não é ou (vido)

quem disse que não sou poeta? tento
agradar e convencer a mim mesmo
todas formas possíveis meu sustento

as mesmas torres caindo torresmo
são só frases para rimar atento
traindo distraindo tudo a esmo



soneto ii

Nenhum comentário:

Postar um comentário

lave

metâmero




poesias inéditas semanalmente
outros conteúdos e indicações relacionadas diariamente em facebook.com/encardido

Creative Commons License
cárdeo [e todo o conteúdo, exceto quando citado de outrx autorx] de marcos assis está licenciado por creative commons atribuição-uso não-comercial-compartilhamento pela mesma licença 2.5 brasil