sábado, 8 de fevereiro de 2014

Mingus

agradeço numa prece à humanidade pelo jazz
seu toque que ouço dessa janela
sua expressão que imagino

agradeço ao jazz
que seu toque me causa pele
nesse som, que desatino
sua expressão que imagino e sinto sem rumo
nesse toque da janela
a chuva que se joga aqui nessa transparência
veio vindo com a noite marrom
e deixou um perfume de sândalo sem pensar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

lave

metâmero




poesias inéditas semanalmente
outros conteúdos e indicações relacionadas diariamente em facebook.com/encardido

Creative Commons License
cárdeo [e todo o conteúdo, exceto quando citado de outrx autorx] de marcos assis está licenciado por creative commons atribuição-uso não-comercial-compartilhamento pela mesma licença 2.5 brasil