segunda-feira, 5 de abril de 2010

meu corpo aponta em sua direção
meu sexo em seu sentido
pinto ponta a contar os momentos
mão inquieta que não consegue
     saltar peitos ao fazer carinho
oca boca toda em nós
membro carne pele osso em nós
tinto tonta sem controlar
que não consegue, salta
agora não meu
nosso, vejo em escuro sinto

tenta tanta sem confiar
que não salta, falha
agora nem seu
nossa, veja em escuro bonito
(a lua)

6 comentários:

lave

metâmero




poesias inéditas semanalmente
outros conteúdos e indicações relacionadas diariamente em facebook.com/encardido

Creative Commons License
cárdeo [e todo o conteúdo, exceto quando citado de outrx autorx] de marcos assis está licenciado por creative commons atribuição-uso não-comercial-compartilhamento pela mesma licença 2.5 brasil