sexta-feira, 26 de março de 2010

trancado por dentro
uma casca de inseto
amado por ninguém

deixado ao vento
um vira-casaca
armado até os dentes


até um tempo
por uma eternidade
de versos curtos
e dias longos


doidos malucos
armados por ninguém
infelizes atores de uma peça de roupa
alertados, conscientes

10 comentários:

  1. embaralhando as letras:

    "dois dos malucos..."

    ResponderExcluir
  2. a frágilizante sensação de humanidade individual...

    ResponderExcluir
  3. @@POEMA 1ESCRITO %%EM JULHO DE 2008--

    ResponderExcluir
  4. malucos são sua especialidade.

    beijos saudosos

    ResponderExcluir
  5. há nos manicômios tantos malucos com tantas certezas
    e eu que não tenho nenhuma certeza
    sou mais certo ou menos certo?

    Lidia Maria Melo (?)

    ResponderExcluir
  6. ei, já fui assim ou será que sou ainda!?
    olha, seu vira-casaca... te gosto!

    ResponderExcluir

lave

metâmero




poesias inéditas semanalmente
outros conteúdos e indicações relacionadas diariamente em facebook.com/encardido

Creative Commons License
cárdeo [e todo o conteúdo, exceto quando citado de outrx autorx] de marcos assis está licenciado por creative commons atribuição-uso não-comercial-compartilhamento pela mesma licença 2.5 brasil