segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

oceano

mais uma vez você virou as costas e foi embora
deixou todo um oceano de desprezo, virou as costas, foi embora
dessa vez foi longe demais pra que eu fosse atrás
virou as costas, pegou uma avião e foi embora
dessa vez você passou de todos os limites
me ruiu, desabou minhas bases de areia, me fez pó de vidro solto espelho da própria impossibilidade em ser
me ruiu, desabou minhas bases, me fez pó, nem se despediu
poluiu minhas lágrimas com seus beijos

dessa vez nada, sempre você transpassa as absurdas fronteiras vai longe demais
te sigo com rancor, afogo como sempre até te alcançar
meu pensamento te persegue em silêncio soluço angústia
sôfrego desrespeitoso odioso perverso
me diz cruel e vou sendo:
afogo atlântico de tristeza e loucura que você fez caminho sobre meu corpo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

lave

metâmero




poesias inéditas semanalmente
outros conteúdos e indicações relacionadas diariamente em facebook.com/encardido

Creative Commons License
cárdeo [e todo o conteúdo, exceto quando citado de outrx autorx] de marcos assis está licenciado por creative commons atribuição-uso não-comercial-compartilhamento pela mesma licença 2.5 brasil