sábado, 9 de maio de 2009

tem alguém aí?

cuidado, não precisa quebrar as portas
não é sempre que se quebra portas por raiva

e não vou escrever minhas memórias
pois são todas iguais e além
do mais
nunca lembro


adiei até esquecer



Por que não agora?
se meus sentimentos, instintos e razões que até a própria
alma desconhece são bem confusos
e repetidos
tédiosamente repetidos
iguais


tanta solidão
e só agora
e por que não agora?
me dou conta
me descubro mais e tão só

é muita companhia pra mim

companhia repetida demais pra mim


companhia demais pra mim

2 comentários:

  1. inesgotáveis palavras lindas.
    um beijo

    ResponderExcluir
  2. lindo mesmo! sempre adio as coisas até esquecer... isso é ruim, né..


    que lindo que você tá morando no bairro liberdade! vou morar lá também! rua flor de índio! vai ser massa demais a gente morando no mesmo bairro! qualquer coisa, eu vou rangar na sua casa... hauhauh..


    donde é que eu consigo esse jornal? tá chique, hein? hhauah..

    beijo!

    ResponderExcluir

lave

metâmero




poesias inéditas semanalmente
outros conteúdos e indicações relacionadas diariamente em facebook.com/encardido

Creative Commons License
cárdeo [e todo o conteúdo, exceto quando citado de outrx autorx] de marcos assis está licenciado por creative commons atribuição-uso não-comercial-compartilhamento pela mesma licença 2.5 brasil